Favela da Paz: Modelo e Centro de Educação

FAVELA DA PAZ
Modelo e Centro de Educação:
Cultura, Comunidade, Auto-Suficiência e Educação para a Paz

A visão da Favela da Paz é tornar-se um modelo replicável e um centro de educação para a autonomia e para a paz – tanto entre seres humanos, como entre seres humanos e o meio-ambiente.

Através das soluções para a auto-suficiência – ao nível da água, do alimento e da energia – damos exemplos para a recuperação da autonomia e da riqueza das comunidades locais. Simultaneamente, oferecemos formas concretas para cortar com a dependência de todo um sistema baseado na exploração das pessoas e do planeta.

Através da arte e da cultura, do trabalho para o fortalecimento da nossa comunidade, e da educação para a paz, trabalhamos para a criação de algo mais forte que o medo e a violência.

Vivemos hoje uma crise global que se estende do nível ecológico, até ao nível econômico e social. Como humanidade, temos de repensar as fundações da nossa forma de habitar este planeta. O trabalho de paz atual tem de oferecer respostas em todas estas áreas.

Mundialmente, cerca de um bilião de pessoas vive em favelas. São necessários todos os projetos que se dediquem a desenvolver soluções para transformar estes lugares em zonas ricas em cultura, em comunidades fortes e unidas, em economias locais abundantes e diversas, e em zonas onde a subsistência material das pessoas já não se encontre ligada a um sistema global, baseado na exploração de seres humanos, de animais e do planeta.

Por todo o mundo, surge uma rede de pessoas e projetos que trabalha nesta meta comum. A Favela da Paz é um ponto nessa grande rede – uma comunidade planetária que progressivamente se reconhece a si própria, estabelece laços de cooperação, e se fortalece.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Tamera na Favela da Paz

De 17 de Outubro a 17 de Novembro, uma equipa de Tamera (um Centro de Investigação para a Paz, situado em Portugal), veio até ao Jardim Nakamura para conhecer melhor todo o trabalho da Favela da Paz e apoiar os seus próximos passos.
Nesta equipa de 8 pessoas, reuniam-se pessoas de Portugal, Alemanha e Palestina. Foi um mês incrível onde se construiu um sistema de produção de biogás, se desenvolveram soluções de permacultura urbana, se fortaleceram os laços entre diferentes projetos, e se fez muita música!

A Favela da Paz faz parte de uma rede chamada ‘Campus Global’, criada por Tamera. Desta rede, fazem parte vários projetos de variadas zonas do globo, que trabalham na criação de modelos concretos para a paz.

Durante este mês, cinco equipas de Tamera dividiram-se por algumas das estações do Campus Global: no Brasil, no Quênia, em Israel-Palestina, na Colômbia e em Portugal.

Aqui na Favela da Paz, recebemos a equipa de Tamera e muitos outros convidados. De 28 de Agosto a 3 de Novembro, um grupo de cinco jovens bolivianos que gerem um centro cultural e centro de educação em La Paz, veio até nós para um intercâmbio de experiências.

De 4 a 11 de Novembro, cerca de 15 pessoas vindas da Holanda, da Bélgica e de várias zonas do Brasil, vieram até ao Jardim Nakamura para jogar o jogo do Oasis, com o apoio da Favela da Paz. O Oasis é um jogo com a duração de 8 dias, cuja meta é descobrir um sonho coletivo da comunidade local, e iniciar a sua realização – um processo que acabou por envolver grande parte da população do Jardim Nakamura.

No final desta temporada, a equipa de Tamera e da Favela da Paz reuniu-se em Juquitiba para refletir sobre este mês e planear os próximos passos.

Agradecemos a esta grande família por toda esta jornada conjunta!

Mais informações sobre Tamera: http://www.tamera.org
Mais informações sobre o Campus Global (apenas em inglês): http://www.globalcampus.wix.com/globalcampus
Mais informações sobre o Oasis: http://institutoelos.org/en/jogo-oasis/

Este slideshow necessita de JavaScript.

Digestor de Biogás

Esta semana, terminamos a construção do nosso sistema de produção de biogás!

É um sistema simples e funciona da seguinte maneira: de um lado introduzimos restos de comida que sobram da cozinha; e do outro sai gás que utilizamos para cozinhar as nossas refeições. O gás é produzido à medida que bactérias inofensivas, existentes dentro do primeiro tanque do biogás, digerem e decompõem o material orgânico. Com o gás produzido, esperamos conseguir cozinhar para 20 a 30 pessoas por dia, gratuitamente.

Ao mesmo tempo, com este sistema, dá-se uso ao lixo orgânico que é produzido em nossa casa.

Para além do gás, outro produto que resulta deste processo é o fertilizante líquido e natural, que podemos usar para regar as nossas hortas urbanas, que estamos a construir com técnicas de permacultura. O excedente do fertilizante, podemos oferecer ou vender a quem dele necessitar.

O sistema de biogás é apenas um passo no caminho, rumo ao abandono da dependência dos sistemas atuais de abastecimento energético – baseados na destruição do planeta e na exploração das pessoas, e ligados com tantas guerras movidas pelo controlo de recursos.

Estamos a produzir um manual gratuito para a construção deste sistema de biogás.

Fiquem atentos!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Permacultura Urbana

Temos implementado algumas soluções de permacultura urbana aqui na Favela da Paz. O objetivo é alcançar cada vez mais autonomia ao nível da alimentação.

A permacultura é um sistema ético baseado no Cuidado pela Terra, no Cuidado pelas Pessoas, e na Partilha Justa entre todos os membros da biosfera.

Estes sistemas urbanos de permacultura são soluções simples para a produção de alimento: sem fertilizantes ou quaisquer outros químicos, de baixa manutenção, fáceis de construir e, em grande parte, feitos a partir de material reciclado.
Desta forma, à medida que reconquistamos a nossa auto-suficiência, deixamos também de ser cumplices para com os sistemas de grande escala de produção de alimento: baseados nas monoculturas, na destruição dos ecossistemas e na contaminação dos solos com pesticidas e fertilizantes.

Este último sistema que instalamos, recolhe água da chuva e usa-a para a rega das plantas. Através do reservatório de água que existe no fundo dos canteiros instalados, apenas precisamos de os abastecer com água cerca de uma vez por mês. Nenhuma rega adicional é necessária.
A instalação está terminada – agora só faltam as plantas crescerem!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Primeiro Dia Aberto na Favela da Paz

No dia 2 de Novembro realizamos o primeiro Dia Aberto na história da Favela da Paz – sucesso!

Cerca de 30 pessoas, na sua maioria pertencentes à comunidade local, vieram para conhecer melhor o projeto e os seus novos desenvolvimentos. O Janos, da equipa de Tamera, fez uma apresentação do sistema de biogás, que se seguiu de uma sessão muito produtiva de perguntas e respostas.

Através da vinda da Claudia Correa, diretora de uma escola inspiradora em São Paulo, e esposa do Professor José Pacheco (um grande nome na esfera dos novos modelos de educação), falou-se muito acerca do aspecto educativo deste trabalho, nomeadamente para os jovens – promovendo visitas de estudo à Favela da Paz, e promovendo projetos escolares para a construção de sistemas de biogás nas escolas, realizados pelos alunos, por exemplo.

OASIS – O Processo, o Sonho, o Mutirão

De 4 a 11 de Novembro, pessoas do Instituto Elos – juntamente com cerca de 15 participantes vindos da Holanda, Bélgica e várias zonas do Brasil – vieram até à Favela da Paz para jogar o jogo do Oasis.
O jogo do Oasis tem a duração de 8 dias. Durante os primeiros 6 dias, os participantes entram em contato com a comunidade local, e num processo conjunto tentam descobrir qual o seu sonho coletivo. Ao longo destes dias, reunimos com a comunidade na Escola E. Oscar Machado, aqui na Rua 2, e chegamos a um acordo relativamente aos primeiros passos a realizar, para tornar o sonho realidade. Nos últimos dois dias do Oasis, juntamente uma multidão de todas as faixas etárias da comunidade, fizemos um mutirão. Numa ação gigantesca, colocamos a “mão na massa” e construímos na escola um parque para as crianças, uma pista de skate, renovamos a quadra, construímos uma horta comunitária, arborizamos os espaços, e pintamos paredes e escadões!

Mais que todos os resultados visíveis, esta foi uma experiência que demonstrou o poder de ação de uma comunidade unida. Esta é uma experiência que queremos manter viva. Para isso, decidimos continuar com as reuniões comunitárias, onde vamos continuar a debater e planear os próximos passos para transformar o Jardim Nakamura.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Dia Global de GRACE

No dia 9 de Novembro, como já tem sido hábito, celebramos o Dia Global de GRACE. Depois do primeiro dia do mutirão do Oasis, o grupo de maracatu Espírito de Zumbi trouxe-nos da escola até ao palco montado no topo da Rua 2. Aí, iniciamos a noite com umas palavras da Vera, de Tamera, que explicou a idéia do Dia Global de GRACE e a razão da sua existência.

Em todo o mundo, dezenas de grupos dedicaram este dia à visualização de uma nova Terra, Terra Nova, sem guerra e sem medo.

Trabalhando por uma alternativa à realidade atual, enfrentamos permanentemente as questões:
O que é que já conseguimos ver do novo mundo? Por que objetivo trabalhamos?

Para dar substância a este processo de visualização, Tamera criou uma campanha chamada “Imagina” – uma coleção de imagens com pequenos textos que representam partes da Terra Nova que já conseguimos percepcionar. Através das diferentes imagens, apresentam-se aspectos essenciais da mudança que é hoje necessária – de um sistema de violência e guerra, para um sistema de paz, solidariedade e amor. Estas imagens não foram inventadas arbitrariamente, mas são antes o resultado de décadas de investigação extensiva nos pontos-chave da transformação global. As imagens ilustram aquilo que se poderiam tornar fundações para uma futura cultura de paz.

O resto da noite foi presenteada com momentos musicais incríveis, com a participação de Poesia Samba Soul, Hanilton Messias, Nuno de Portugal, Tabea da Alemanha, Camila Brasil e Rimaístas!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Chuveiro Solar

Os chuveiros elétricos são talvez a maior fonte de consumo de energia elétrica na favela.
Para isso, construímos o chuveiro solar – uma solução simples e barata para cortar com esse consumo.

Funciona da seguinte forma: um tubo PVC de cor negra, é colocado em espiral no telhado da casa. A cor negra absorve a energia do sol e aquece rapidamente a água que passa pelo tubo. Como resultado, obtemos água quente sem despesas de energia elétrica!

Este slideshow necessita de JavaScript.